Diário da reforma: cama pet

Quem acompanha o blog sabe que, além de mim e do marido, há um terceiro morador da casa: Sivuca, um gatinho que está com a gente há seis anos, mesmo antes de casarmos.

Ele não é muito chegado a fotos, nem a estranhos. Infelizmente, foi muito mal tratado ainda bebê (antes de ser adotado por nós) e até hoje não recuperou por completo a fé na humanidade. É o felino mais amoroso e cheio de dengo que eu conheço, mas é muito rigoroso na hora de fazer amizades, hahahahahahahaha!

Todo mundo que convive com gatos sabe como é: eles escolhem os lugares mais estranhos pra dormir, geralmente amam as caixas de papelão ou locais de difícil acesso. O problema é que caixas de papelão não são lá muito bonitas, então a gente começou a pensar em uma caminha pra ele, que tivesse uma altura bacana (pra que ele se sinta seguro), fosse confortável e de fácil locomoção, caso a gente precise levar de um cômodo a outro da casa, por exemplo.

 

 

Dieggo desenhou a cama e colocou as mãos à obra. Ela é toda de madeira, com um acolchoado fofinho coberto com capa de camurça. Como Sivuca adora dormir com a cabeça apoiada em algum lugar, fiz uma almofadinha em formato de donut pra ele.

Todo esse capricho faz sentido, pois a cama é o local onde ele passa a maior parte do tempo. Aliás, parece que ele estava esperando por ela a vida toda! Assim que ficou pronta, ele subiu e deitou imediatamente.

Deve ter sido o jeito dele de dizer “até que enfim!”. =D

 

Aqui a cama foi feita pra um gatinho, mas tenho certeza de que faria sucesso entre os cachorros também!

 

Diário da reforma: o (re)começo

Lá em 2008 eu e Dieggo ficamos noivos e compramos uma casa, na intenção de reformá-la. Começamos a planejar a nova estrutura da casa, derrubando paredes daqui e de lá e apenas uma parede – umazinha só! – da estrutura antiga permaneceu, todo o resto foi ao chão.

A nossa casa começou a aparecer, foi ganhando cômodos, revestimentos, pintura… Hoje, sete anos depois, ela está finalmente pronta pra ser decorada. Ou seja, chegou a melhor parte!

A gente tá montando um cômodo por vez e eu já mostrei a cozinha aqui. Pela primeira vez nesses anos todos, estamos super engajados nesse projeto, decorando (ou redecorando) cada cômodo de acordo com a nossa necessidade – o que explica o fato de termos priorizado a cozinha.

Quase tudo aqui é feito por nós mesmos, dos grandes móveis à aplicação dos pequenos detalhes, e por isso as coisas às vezes caminham a passos lentos (fato compensado pela alegria em ver pronto algo feito com nossas mãos).

 

 

Um dos hobbies de Dieggo é a marcenaria, e ele tem usado todo o tempo livre pra projetar e executar os nossos móveis. A ideia é terceirizar apenas o necessário, ou o que tomaria muito tempo.

Eu decidi compartilhar esse processo aqui por dois motivos: tenho visto muita gente no mesmo mood, casando, reformando, decorando. Acho que isso pode inspirar e motivar essa turma a tirar seus projetos do papel também.

Além disso, o comprometimento de dividir os resultados com vocês nos leva a querer produzir mais, com ainda mais vontade, e assim a gente ganha uma motivação extra!

Pretendo fazer um post por semana, mostrando os avanços realizados do lado de cá. Espero que sejam muitos e cada vez maiores.

Torçam por nós!

 

DIY: T-shirt com aplicação de feltro

 

Eu gosto muito da mistura de cinza e rosa. Dia desses, vendo algumas imagens com essa paleta de cores, lembrei de uma camiseta básica que tava esquecida no armário e imediatamente me veio a ideia de aplicar o rosa nela. Catei minhas caixas de tecidos e aviamentos, encontrei o feltro e a linha na cor que eu queria e comecei o trabalho!

 

 

Bastou imprimir o molde, riscar sobre o feltro e recortar. Depois eu alinhavei sobre a camiseta pra facilitar a costura com a linha de crochê e pronto, uma camiseta novinha em folha!

Experimentem fazer por aí também. É rapidinho, fácil e muito gostoso usar algo feito por nós :)

 

DIY: Caderno personalizado

 

Eu sou apaixonada por itens de papelaria, sobretudo cadernos e moleskines, então resolvi fazer um misto dos dois ao personalizar os meus caderninhos!

Outro dia postei a foto de um deles no instagram e as meninas me pediram pra mostrar o passo-a-passo. É muito simples e não tem nenhum segredo, mas pra quem não tem a mínima ideia de como começar, aí vai o tutorial em fotos.

Eu gosto de usar aqueles cardernos grandes com folhas pautadas e enumeradas, porque isso facilita um bocado a organização das minhas anotações. Além do caderno, só é preciso um tecido com estampa bacana, cola branca, elástico e fita de cetim.

 

 

É importante passar ferro no tecido antes, pra facilitar a colagem. Abra o caderno sobre o tecido e corte deixando uma margem de 4cm em todos os lados. Posicione o caderno bem no meio e passe a cola com a ajuda de um rolinho de espuma. A cobertura fica uniforme e a gente evita sujeira.

 

 

Aplique o tecido passando as mãos por toda a superfície pra evitar vincos ou bolhas. Não se preocupe, é super tranquilo! Colada a parte da frente, vire o caderno e faça o mesmo na parte de trás. Depois é só passar a cola nas bordas e virar pra dentro. Não corte as pontinhas, dobre e só então passe a cola aí também, isso evita que o tecido desfie com o tempo.

 

 

Esqueci de dizer! Antes do passo anterior, corte esse pedacinho de tecido que fica bem no meio do caderno e empurre pra dentro, com a ajuda da tesoura. Depois separe o elástico e a fita de cetim.

 

 

Com a ajuda de uma faca, faça um pequeno corte na contracapa (parte de trás) em cima e embaixo, empurre cada ponta do elástico por esses cortes e cole do lado de dentro, deixando cerca de 4cm colados em cada ponta. Nessa hora é melhor usar uma cola com maior poder de fixação. Use a mesma cola em uma ponta da fita de cetim e empurre no meio do caderno, como foi feito com aquele tecidinho que a gente cortou lá atrás.

Cole uma folha de papel colorido na parte interna de cada capa, pra fazer o acabamento.

 

Prontinho! Moleza, né?

 

Uma ideia, uma parede, um adesivo.

A beleza, em todos os seus aspectos, agrada a gente. Nos faz bem ouvir uma música bonita, ler uma história bonita, estar em um lugar bonito. Mesmo considerando que o conceito de beleza é relativo e aquilo que agrada os meus olhos pode passar despercebido por meio mundo de gente.

 

Mas que tal aplicar o seu conceito de beleza, de forma bem simples e acessível, àquela parede sem graça que atualmente não te diz coisa alguma?

 

 

Não é preciso usar tinta, nem dispor de técnicas avançadas de decoração. Também não precisa de muita grana ou ferramentas complicadas. Basta lançar mão de papel (ou plástico) adesivo, definir um padrão – formas geométricas, corações, estrelas, nuvens – e colocar a mão na massa.

 

 

Vale misturar as cores ou usar tudo em um tom só. Vale aplicar em um cantinho da parede ou preencher ela inteira. Vale pra portas também!

É ideal pra quem mora em casa alugada ou quem não quer investir em pintura ou papel de parede pra dar personalidade ao ambiente.