Pra copiar: a maquiagem de Sophie Charlotte em “O Rebu”

Quando a Globo começou a veicular o teaser da nova novela das onze, eu fiquei louca pra assistir, mesmo sem fazer ideia do que se tratava. Adoro um mistério! O tempo passou, teve a estreia e… eu perdi! Hahahahahaha:) Não consegui acompanhar um só capítulo dessa primeira semana, então aproveitei o final de semana pra assistir tudo e ó, a-do-rei!

Além da trama ser muito boa, fiquei encantada com a fotografia, o elenco e, principalmente, o visual de Sophie Charlotte, que interpreta a Duda. A moça é linda e ficou muito, muito charmosa com o cabelo curtinho – diz aí se não deu vontade de cortar igual?

 

 

Na tal festa em que tudo acontece (e que envolve toda a trama), a Duda usa um vestido lindo e esse make simples, que tem um super efeito. Achei tão lindo que usei o bocão vermelho pra sair ontem a noite, e hoje vasculhei a internet em busca de referências. Os produtos usados podem ser adaptados aos que a gente já tem em casa, e é muito fácil copiar, ó só:

 

 

A gente começa aplicando uma sombra champanhe na pálpebra móvel e no côncavo. Depois usa um lápis marrom pra fazer um delineado rente aos cílios inferiores e superiores. Por cima do traço nos cílios inferiores, é hora de fazer um delineado bem fino, usando delineador líquido ou em gel.

Com uma sombra marrom opaca, vamos esfumar o traço do delineador e o lápis nos cílios inferiores. Aí é só passar algumas camadas de máscara para cílios, usar um lápis bege na linha dágua e finalizar com blush (cuidado pra não exagerar!) e um batom vermelho.

 

A atriz usa o Ruby Woo, mas qualquer vermelho num tom mais fechado quebra o galho. Se o seu batom for cremoso, vale dar umas batidinhas de pó compacto com a ajuda de um pincel, pra garantir um acabamento matte.

 

Eu uso: jeans e lamê

Nem sempre é fácil fotografar o look do dia. Já tive que vencer a timidez por causa de pessoas que param pra olhar, motoristas que reduzem a velocidade, gente que sai nas calçadas e – ainda não contente – entra e chama a galera pra ver, e até criança que se aproxima pra perguntar se eu sou da Globo, hahahahahahahahahahaha, JURO!

Essa semana peguei um desses dias difíceis, com vários expectadores curiosos, por isso o post tá econômico e eu tô com essa cara de “vai logo” na foto! Se as fotos externas não fossem tão melhores, eu faria todos os cliques na privacidade da minha sala, viu?

=D

 

Sobre o look: lembram que eu usei essa saia dourada pra uma festa arrumadinha a noite, né? Dessa vez ela saiu pra passear durante o dia, acompanhada do colete que eu customizei e de uma camiseta basiquinha. Como a saia é bem chamativa, e o colete tem as franjas de correntes, dispensei os acessórios.

Roupa boa é assim: a gente usa várias vezes, de vários jeitos diferentes e nas mais diversas ocasiões!

 

 

>

 

 

Blusa: C&A
Colete (era uma jaqueta): Triton
Saia: Costureira
Bolsa: D’Line

 

Quando tudo estiver cinza…

Eu sou, assumidamente, uma pessoa de tons neutros. Raramente vocês vão me ver usando roupas super coloridas ou muito estampadas. Me sinto bem mais confortável com os tons sóbrios, independente da tendência. Mas a minha paixão por cores frias me leva a outra mania: usar pontos de cor pra não deixar a produção muito monótona.

Adicionar uma peça colorida ao look acaba sendo um dos truques mais divertidos pra mim, porque acho que a gente pode usar a mesma “base” com variações bem diferentes. Por exemplo: sempre gostei muito da cor cinza, e ao invés de usá-la apenas com peças pretas ou brancas – é lindo, mas também é óbvio, né? – adoro misturar com tons mais quentes. Meus preferidos? Rosa e amarelo!

 

 

Certamente vocês já me viram por aqui combinando pink com cinza. Amo, amo e amo! Pra mim, todos os tons de cinza ficam muito bem acompanhados de qualquer tom de rosa. Se a gente adicionar branco ou preto à essa mistura, o resultado fica ainda mais incrível: super feminino e sofisticado! Acessórios prateados e dourados são muito bem-vindos.

 

 

Desde que a gente começou a reforma da cozinha – que tem o preto como tom predominante – o amarelo não me sai da cabeça. Já compramos alguns itens amarelos e combinamos de incluir a cor em alguns pontos específicos, então volta e meia eu me pego pensando na soma do amarelo, preto e cinza, e o resultado é sempre uma combinação incrível!

Nas roupas, não poderia ser diferente. Vale usar os dois tons de forma equilibrada ou jogar apenas um acessório colorido no look monocromático.

 

Bom pra dar uma animada nas produções de inverno, né?

 

A delicadeza das flores

Passe o tempo que for, as flores seguem sendo uma das formas mais bonitas de decorar um ambiente, e um dos jeitos mais simples de arrancar um sorriso genuíno de alguém.

Já falei por aqui de um jeito muito lindo de usar flores na decoração, com um ar super sofisticado. Lembram do vasinho Chanel? E agora volto com outras duas sugestões – que podem inspirar muitas outras – de uso de flores na decoração.

 

 

Seja pra decorar um ambiente, pra um evento comemorativo, ou pra presentear uma amiga, olha que lindeza essas flores acomodadas em cones de papel craft! Coisa simples de fazer, basta enrolar um papel e dar o acabamento com um laço de fita. Quem não se sentiria super mimada diante desse capricho, hein?

 

 

Também vale usar um papel estampado, como mostra a imagem aí em cima. E aí eu repito a sugestão que dei da outra vez: se usar na decoração, aproveita o embalo e distribui as flores entre as amigas ao final da festa. Elas vão adorar o agrado e ficarão felizes diante desse gesto de doçura!

 

E, na hora de presentear, vamos combinar nunca mais usar os papéis sem graça das floriculturas?

 

Retratos da copa

Teve copa, sim! Teve muita copa!

Teve alegria, teve gente vibrando na frente da TV, teve gringo encantado com o alto-astral do nosso país. Teve coração na mão, lágrima nos olhos e grito na garganta.

Eu, que fiz a festa em casa uma vez só (ao contrário do que havia previsto antes do mundial), cismei de fazê-la justo no dia da disputa mais emocionante. Brasil contra Chile. Foi sofrido, foi por pouco, mas foi bonito demais de se ver. Todo mundo de mãos dadas, todo mundo mandando força pro Júlio César, enquanto ele agarrava os gols chilenos. Gritos a cada rede balançada por um pênalti brasileiro, festa, barulho e abraços trocados ao final do jogo.

 

 

Já parou pra pensar que poucas coisas unem tanto as pessoas quanto uma copa do mundo?

Acho que, do lado de cá, essa é a imagem mais bonita que eu vou guardar da copa, da nossa copa, da copa que demorou 64 anos pra voltar pra casa.

Quando o jogo terminou, todo mundo chorou com o gesto do Davi Luiz, que confortou o James de um jeito que só nós, brasileiros, sabemos fazer. Do jeito que – a gente ainda não sabia – mas sentiria vontade de consolá-lo dois jogos depois.

Essa copa foi tão intensa que, olha só a ironia: muita gente se viu, na grande final, torcendo pro mesmo time que derrotou os nossos meninos no campo, naquele 7 a 1 que a gente nunca, nunquinha, vai esquecer!

 

 

A gente não ganhou a taça, mas essa copa foi nossa! O mundo inteiro voltou os olhos pro Brasil e foi lindo ver a simpatia do nosso povo ecoando pelos quatro cantos do mundo. É essa a imagem que eu vou guardar da copa no Brasil (provavelmente a única que eu vou vivenciar) – o hino cantado a plenos pulmões no estádio, as lágrimas de alegria lavando o rosto, os gritos de gol que uniram uma nação inteira, a família reunida pra ver os jogos, o coração na mão e o Cristo Redentor de braços abertos diante daquela lua inesquecível!

 

E, claro, fã de carteirinha que sou, vou lembrar da Shakira diva, trazendo o baby Milan pro centro do Maracanã, mostrando aquelas bochechas lindas pra todo mundo ver, derramando a sua fofura sobre a bandeira brasileira.

 

Teve copa sim, e foi bonito de se ver.