Rock Glam

 

Música e moda sempre andaram de mãos dadas e, desde que o mundo é mundo, bandas e cantores vêm ditando tendências e comprovando que a música influencia a moda.
Foi pensando nisso que a gente desenvolveu a primeira coleção de t-shirts do Popglam. A mistura entre o universo rockstar – com todo o fascínio que ele sempre exerceu sobre a gente – e as tendências fashion que a gente ama, resultou em camisetas cheias de atitude, modernas e muito, muito glamourosas!

 

Com o conceito “sexo, moda e rock’n’roll” a coleção conta com quatro estampas e algumas variações de tons. Curiosa pra ver todos os detalhes? Aperta o play e clica aqui!

 

Otimizando o seu guarda-roupa

Que atire o primeiro cardigan quem nunca passou minutos de angústia diante das roupas penduradas no armário sem saber o que vestir.  E quem nunca se viu repetindo várias vezes as mesmas peças, só por comodidade? Taí dois pecados que eu vinha cometendo com frequência. Eu bem sei que nas horas em que a gente mais precisa, parece que as roupas se escondem da gente (daí surge a boa e velha desculpa de não ter o que usar), talvez por isso a gente cometa o erro de usar sempre as mesmas coisas.

Não que eu seja contra repetir roupas, ao contrário! Se tem uma coisa que me deixa feliz é usar mil vezes a mesma peça – e me sentir orgulhosa do investimento – mas que tal usar tudo sempre de um jeito novo?

 

Foi com essa ideia na cabeça (e várias folhas de papel na mão) que eu parei dia desses pra analisar o meu armário, fiz uma mega limpeza e acabei criando uma espécie de “lookbook do Paraguai“. Apesar de super simples, a coisa tem funcionado tão bem que eu achei que seria válido compartilhar com vocês.

 

 

Depois de separar tudo o que eu não uso mais, listei as peças que eu nunca havia usado, ou que usei poucas vezes. Incluí também as que eu já usei um bocado, e quero continuar usando, só que em propostas diferentes. Dividi a lista em “partes de baixo”e “partes de cima” pra fazer valer aquela regrinha de que a gente deve ter cinco partes de cima (blusa, camisa, jaqueta) para cada parte de baixo (saia, calça, shorts).

 

 

Fiz o mesmo com as bolsas e os sapatos. Como eu não tenho o closet da Carrie Bradshaw, fica difícil deixar tudo exposto. Por isso, achei melhor fotografar tudo e imprimir. Pra conservar bem as bolsas, guardei todas em saquinhos de TNT (geralmente vêm junto com elas quando a gente compra, mas dá pra usar sacos plásticos transparentes ou mandar fazer os saquinhos) e etiquetei todas elas, colocando na parte de fora das embalagens a foto equivalente ao produto que tá lá dentro. Assim não preciso abrir saquinho por saquinho na hora de escolher qual usar.

 

 

Dá pra fazer a mesma coisa com os sapatos, caso você não tenha espaço pra deixar todos expostos. Como as caixas normalmente já trazem o desenho do calçado no lado de fora, essa parte fica mais fácil.
Se isso fosse um lookbook de verdade, o próximo passo seria montar os looks – pensando na regrinha de cinco pra um que eu citei lá em cima e tentando combinar as peças de jeitos diferentes, pra conseguir o maior número de combinações possível – e fotografar um por um, já com os acessórios.

 

Acontece que eu tenho um problema: detesto provar roupa! Por um lado chega a ser uma vantagem, já que acaba freando um possível consumo exagerado. Por preguiça de experimentar, levo ao provador apenas as peças que eu amei muito, e daí não corro o risco de comprar nada por impulso.

 

 

Com a listinha de roupas e as fotos das bolsas e sapatos em mãos, foi só montar as combinações, sem precisar bagunçar tudo ou tirar as coisas do lugar. Montei mais de 20 opções de looks, o que tem sido MUITO útil na hora de escolher o que usar, porque eu só preciso considerar a ocasião e o horário e apontar na minha listinha a opção mais adequada. Depois disso pego cada peça em seu lugar e em pouco tempo tô pronta!

 

Percebi que as minhas produções melhoraram muito depois disso, já que me propus a usar tudo de um jeito pensado, variando e otimizando o uso das peças que eu tenho no armário. Agora, sempre que compro uma coisinha nova, além de pensar (no ato da compra) o quanto ela vai acrescentar no meu armário, assim que chego em casa já adiciono as propostas de uso à minha listinha.

Tô adorando essa dinâmica e só lamento por não ter posto a ideia em prática há mais tempo.

Experimenta você também!

 

Retratos do amor (ops, da semana!)


 

Comecei a semana da pior maneira possível: dodói! Pra quem tá habituada a trabalhar full time, ter que ficar uns dias de molho é um mega castigo, viu? Principalmente quando há tanto trabalho bacana a ser feito!

Na quarta feira eu já tava melhorzinha e foi a vez de recuperar o tempo perdido, o que incluiu organizar os ajustes finais da nossa coleção (ai, que orgulho!) e planejar a comemoração das nossas bodas de algodão.

 

 

Faz um tempo que eu venho quebrando a cabeça em busca de um presente significativo pro marido, até que dia desses eu tive um estalo: uma guitarra! Pra quem não sabe, Dieggo é publicitário, designer, excelente cozinheiro, fotógrafo and músico e comentou recentemente que tava a fim do instrumento. Repararam que eu casei com um homem completo? #esperta

Como eu não entendo nada de guitarras, preferi não arriscar na escolha do modelo. Fui na loja, comprei a palheta e coloquei em uma caixinha pequena, acompanhada desse cartãozinho da foto. Escondi a tal caixinha no fundo de uma caixa imensa, recheada de bolinhas de algodão (foram bodas de algodão, ué!) e entreguei assim que a gente acordou no domingo. Ele AMOU!

Hoje cedo já correu na loja e voltou pra casa munido da guitarra, lindona!

Em troca eu ganhei um café da manhã delicioso, um almoço super especial, um dia incrível (que terminou com o hambúrguer do amor, feito por ele) e um vestidinho lindo de tudo, que logo aparece em algum look aqui no blog.

 

Eu sei que muitas moças casadas passam por aqui, e elas hão de concordar comigo: a vida a dois é uma delícia, viu? Por isso, leitoras noivinhas, não percam tempo! Arrastem esses moços pro altar o quanto antes =D

 

Tá quase tudo pronto (e tá ficando lindo!)


 

Esse blog tá um abandono só essa semana, né? Mas é por uma boa causa! Sabe aquele projeto secreto (que já nem é mais tão secreto assim) que a gente vem desenvolvendo há alguns meses? Tá na reta final, gente!

As peças já estão prontinhas – tudo lindo, lindo! – e agora a gente tá finalizando uma das partes mais bacanas desse processo todo: o material de divulgação.

A coleção levou um tempinho pra ficar pronta, mas a gente fez questão de caprichar em todos os detalhes pra mostrar tudo de um jeito bem bonito pra vocês. Foi tudo tão gostoso até aqui que já valeu à pena!

 

Até a semana que vem a gente abre o jogo e acaba de uma vez com esse suspense. Mas aposto que vocês vão adorar. Esperem só mais um pouquinho, tá quase!

 

Eu uso: preto, branco e vermelho

P&B é um clássico e, assim sendo, é um investimento certeiro em qualquer época, independente das regras ditadas pela moda. Acontece que, especialmente nesse inverno, a dupla veio com tudo (e ainda promete se manter em alta por muito tempo). O lado bom disso é que a gente encontra peças em preto e branco com mais facilidade, mas é justamente aí que mora o perigo: o risco de sair por aí igual a todo mundo se torna cada vez maior!

A gente já falou por aqui sobre alguns truques pra variar o look, e um deles é incluir pontos de cor na produção. Não importa a cor que você escolher, dificilmente um tom não vai ficar bem numa proposta em preto e branco. Pra variar o meu look clássico (com direito a cardigan listradinho), eu escolhi um tom que – de tão queridinho – chega a ser óbvio. Pitadinhas de vermelho na bolsa e no batom. Gostaram?

 

 

 

 

 

 
Cardigan:  Mind Bridge
Regata: Hering
Colar: Caus
Calça: Colcci
Sapatilha: Gato&Sapato