Eu uso: camisa masculina #03

Parece loucura (talvez seja) mas eu morro de medo de passar frio, gente! Nada me incomoda tanto quanto as baixas temperaturas. O frio me desconcentra, me deixa desconfortável e eu não consigo aproveitar nada, por mais legal que seja o lugar. Por isso, se eu achar que corro o risco de sentir frio, trato de levar uma peça pra me socorrer. Foi assim que eu usei a camisa branca no terceiro look do desafio: sobreposta. Saí pra jantar com o marido e, apesar da noite estar quente, não queria deixar nenhum ar-condiconado chato estragar o meu programa. Sabe que eu adorei a composição? Achei elegante e super fresh!

 

 

 

 

Eu quero: blazer metalizado

Outro dia comentei no twitter que precisava loucamente de um blazer metalizado e várias meninas compartilharam do mesmo desejo. Taí uma terceira peça capaz de levar o combo jeans + camiseta pra qualquer lugar!

 

 

A tendência metalizada invadiu as passarelas nas semanas de moda, e não há dúvida de que vai ser uma das grandes protagonistas desse inverno. Pra quem tem medo de ousar e quer se acostumar aos poucos com a novidade, vale à pena investir em uma pecinha e combiná-la com outras mais sóbrias, como o jeans, por exemplo.

 

 

As texturas também variam um bocado, e vão das mais discretas as mais trabalhadas. Resumindo, tem pra todo gosto! Eu ainda não encontrei o blazer desejo em nenhuma loja, o que não é problema, já que é muito provável que, mais uma vez, eu apele pra costureira, até porque blazer é uma peça complicada de encontrar (tem que ter um bom corte e um caimento bacana) e feito sob medida a gente evita o risco de sair por aí com uma peça que não parece nossa.

 

 

Ainda não escolhi o tecido (tarefa difícil, diante de tantas opções) mas gostei muito do modelo usado pela Thássia (a segunda foto dessa montagem) que não é tão estruturado como os demais e dá pra usar tranquilo durante o dia.

E vocês, meninas? Já estão investindo em peças metalizadas?

Retratos da semana

 

 

Ou o meu tempo está ficando cada vez mais curto, ou os dias estão passando cada vez mais rápido. Que semana corrida, gente! Tive que tirar um dia pra resolver de uma vez tudo o que eu precisava no centro da cidade, e aproveitei pra mandar fazer uma foto pra colocar no porta-retrato que andava vazio na minha penteadeira. Não sou fã de espalhar mil fotos pela casa, mas pra mim um lar só é mesmo um lar quando tem uma foto dos donos!

Olha que achado: arrumando o armário das minhas bolsas, encontrei essa clutch Fellipe Krein que comprei há mais de um ano e nunca usei, dá pra acreditar? Em breve ela deve aparecer em algun look por aqui!

Essa é a hora em que faço todo mundo passar vontade! Olha que delícia os crepes com chocolate e doce de leite (huuuummm) que marido preparou esses dias. Fazia um tempão que eu tava com desejo e juro que estou escrevendo aqui com água na boca, viu?

 

 

Por falar em água na boca, essa semana também teve almocinho delícia por aqui e eu finalmente experimentei o tal do guaraná Jesus que, cá pra nós, é bem mais bonito que gostoso, né? Imagina fazer uma festa com décor rosa e servir só esse refrigerante? Hahahahahahaha:)

Pra não deixar escapar

Eu adoro peep-toes! Gosto tanto que preciso me policiar pra não correr o risco de comprar todos os sapatos do mesmo modelo. O problema é que alguns calçados assim, com o passar do tempo, ficam mais folgadinhos e costumam escapar do pé quando a gente anda.

Tenho um modelo que tava encostado há tempos, porque não dá pra sair por aí com um calçado que insiste em fugir do pé, né?

 

 

Daí que dia desses eu aprendi uma dica muito prática, que resolve o problema em dois minutos: é só usar um absorvente higiênico (sem abas) como se fosse uma palmilha, sabe? A gente destaca a fita adesiva do absorvente e cola dentro do sapato.

O legal é que dá pra usar mais de um absorvente (dependendo de como o pé se adapta ao calçado), a gente pode cortar na altura que quiser (pra não aparecer na pontinha) e o pé se mantém firme, evitando que a gente escorregue.

A dica também vale pra usar no sapato da mãe ou da irmã, quando a gente pede emprestado e fica um pouco folgadinho.